ENTREVISTA: Bruno Isaías e um aquário com peixes primitivos

Como informei pelo twitter, retomo as entrevistas no blog. Embora meu objetivo ao iniciar as entrevistas fosse dar destaque a aquapaisagistas, estou pensando em mudar um pouco o conceito desta vez. Percebi, com alguma tristeza, que muitos sites e blogs ótimos que acompanhei anos “faleceram”, não conseguindo competir com as redes sociais.

E a questão das redes sociais, é que elas primam pelo instantâneo, pelo novo. Dessa forma, a informação não fica organizada e arquivada, fica dispersa e muitas vezes de difícil acesso. Então, tentarei reagrupar informação e não só sobre aquarismo plantado. Mas, como não domino vários assuntos incríveis do aquarismo, as informações que não são relacionadas a concursos e aquapaisagismo trago em forma de entrevista.

O primeiro entrevistado é Bruno Isaías, que mantém um aquário com primitivos. O ALCATRAZ, como foi nomeado esse grande projeto. Eu fiquei super interessado nessa vertente do aquarismo e os exemplares que ele mantém são muito bonitos. Desde já, obrigado Bruno Isaías pela prontidão e colaboração. Dúvidas podem ser encmainhadas a ele no fórum Aquaflux.

Qual o tamanho do aquário?

Resposta: 175 x 50 x 53

Que peixes você mantém no aquário?

Polypterus Endlicheri (03), Polypterus Ornatipinnis (02), Polypterus Delhezi (02), Polypterus Palmas (01), Polypterus Lapradei (01), Polypterus Senegalus (01), Lepisosteus oculatus (02), Osteoglossum Ferreirai – aruanã negra – (01), Synbranchus marmoratus – Muçum – (01)

O que eles comem?

Ração para carnívoros de fundo e Ração para carnívoros de superfície.

Como é o sistema de filtragem para dar conta dessa turma?

Sump de 128 litros com duas bombas de retorno independentes com mais de 10 vezes o volume total por hora e uma bomba de circulação de 2000 litros/hora.

Hoje é comum os aquários possuírem plantas naturais. Eles não convivem bem com as plantas, já que não há nenhuma neste aquário?

Este aquário até recentemente tinha plantas mas optei por não ter apenas por questão estética.  Os peixes primitivos não se alimentam ou beliscam plantas mas com seu nado podem arrancar plantas, não sendo impossível manter plantas resistentes (anúbias, amazonenses, microsorum) quando bem protegidas por pedras.

Alguns tem uma aparência, digamos, não amistosa. O aquarista precisa tomar algum cuidado ao fazer manutenção no aquário?

Os bocas de jacaré são predadores de emboscada.  No momento da necessidade de introduzir o braço no aquário é preciso fazer de uma só vez. Jamais se deve colocar o dedo de forma lenta porque eles mordem primeiro e verificam depois se é ou não alimento.  Mas a mão inteira eles respeitam.

Já tomou algum susto com eles ou ocorreu algum incidente entre eles?

Durante uma raspagem de algas da parede traseira um lepisosteus se assustou e saltou pra fora.  Felizmente não caiu “de bico” e não sofreu nada mais do que perda de algumas escamas que se regeneraram bem rápido.

Aliás, no que consiste a manutenção desse aquário?

Basicamente TPAs quinzenais, troca do perlon e regeneração do purigem mensalmente.

Um aquário com exemplares dessas espécies pode ser mantido por “iniciantes”? Ou seja, aquela pessoa que nunca teve um aquário, mas se interessa pelo assunto e viu um aquário com Jumbos, pode se atrever a iniciar de cara neste nível ou é melhor passar por outros estágios?

Pode sim, sendo até recomendável, principalmente com peixes primitivos, que são extremamente resistentes a parâmetros incorretos, amônia, variações de PH e temperatura e etc.  O mesmo não ocorre com alguns ciclídeos mais sensíveis, apesar de “ferozes”, como o flowerhorn, por exemplo.

Antes deste aquário, que peixes você criou? Há quanto tempo está no hobby?

Tenho atualmente um aquário de 58 litros com um axolotl (salamandra mexicana), um aquário de 325 litros com acarás disco e este de primitivos.  Já tive praticamente todas as espécies de aquários de água doce e salgada.  Tenho aquários desde criança mas de forma mais organizada desde o início de 2008.

Como surgiu o interesse pelas espécies?

Vendo alguns vídeos de aquários com lepisosteus e polypterus senegalus.  Achei muito interessante essa questão de peixes que são fósseis vivos, sem alterações há mais de 50 milhões de anos.

Se alguém deseja se inspirar neste seu aquário e enveredar por este rumo do aquarismo, que dicas você dá? Como tratá-los, que equipamentos adquirir e coisas do gênero…

Atualmente há uma facilidade maior, não só pela existência de todo o tipo de equipamento no mercado como também pela existência de fóruns, grupos, blogs e  páginas de facebook dedicadas ao assunto.  Na manutenção de peixes jumbos há sempre um sistema de “trocas” entre aquaristas, o que proporciona criar novas amizades e aprender sempre.  O conselho único que dou é : escolha primeiro e compre depois.  Muitas vezes o aquarista compra aquário e materiais e depois decide o tipo de montagem.  O ideal é ter o projeto no papel primeiro e aí sim começar as compras e leituras.

Anúncios

Uma consideração sobre “ENTREVISTA: Bruno Isaías e um aquário com peixes primitivos”

  1. Excelente dicas e belo aquario, meu tipo preferido.
    Ainda vou ter um lepsosteus por enquanto tenho um Oscar já a dois anos sera que fica bom o Oscar mais um lepsosteus num aquário de 170 x 45 x 45 ??? Me ajuda ai

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s